Afinal, como funciona o refinanciamento do imóvel?

Afinal, como funciona o refinanciamento do imóvel?

Nem sempre conseguimos juntar dinheiro suficiente para realizar projetos que exigem investimentos mais altos (como abrir o próprio negócio, viajar, começar um curso) ou escapar do cheque especial, do acúmulo das dívidas, do atraso do cartão de crédito.

Porém, a falta de dinheiro nem sempre precisa ser um impeditivo. É por isso que existem tantas modalidades de empréstimos no mercado. Você já ouviu falar do refinanciamento do imóvel?

Neste post, explicamos o que é e como funciona esse tipo de empréstimo. Continue a leitura e tire suas dúvidas!

O que é refinanciamento do imóvel

O refinanciamento do imóvel não é tão conhecido quanto os empréstimos tradicionais, como o pessoal e o consignado, mas pode ser uma alternativa interessante para quem tem uma casa própria.

Trata-se de um tipo de empréstimo concedido pelo banco ou outras instituições financeiras no qual o imóvel da pessoa é colocado como garantia do negócio em troca do dinheiro que ela receberá emprestado.

Assim, o imóvel passa a ter dois donos: o contratante e o banco. O primeiro continua tendo a posse direta ou principal e o segundo entra como possuidor de forma indireta.

Na prática, nada muda: o proprietário continua usando o imóvel como bem entender. A única diferença está no fato de que o bem irá a leilão caso as parcelas não sejam pagas. Ao fim, quando o empréstimo estiver quitado, a pessoa volta a ser a única proprietária do imóvel.

Quais são as vantagens desse tipo de empréstimo

A obtenção de um empréstimo por meio do refinanciamento do imóvel tem duas condições: o bem já precisa estar quitado e não deve ter nenhuma dívida. Com esses requisitos em dia, a pessoa pode solicitar o empréstimo, que se diferencia dos demais por algumas vantagens próprias. Veja:

Juros baixos

O refinanciamento do imóvel é a modalidade com juros mais baixos do mercado: pode girar por volta de 1%. Justamente por isso costuma gerar desconfiança nos consumidores. Mas a explicação é simples.

Como a casa própria do devedor é colocada como garantia, o risco de o banco não receber o valor emprestado é baixo. Por causa disso, consegue proporcionar condições melhores aos clientes.

Prazos longos

Imagine essa modalidade como se fosse um financiamento de imóvel, só que ao contrário.

Em vez de o banco emprestar dinheiro para que o cliente compre a casa própria, esse imóvel já está quitado e é utilizado para conseguir um empréstimo. Então, a pessoa passa a pagar novamente o valor previamente combinado.

Portanto, tal qual em um financiamento, o prazo para devolução é longo, podendo chegar a até 240 meses, ou seja, 20 anos.

Empréstimo de valores mais altos

Como o empréstimo se baseia no valor atualizado do imóvel, o montante depositado em conta costuma ser alto.

A pessoa pode conseguir até 70% ou 80% do valor do bem, por exemplo. No entanto, essa quantia dependerá do perfil financeiro do cliente e do bem alienado.

Como buscar o refinanciamento do imóvel

Como você pôde ver, o refinanciamento do imóvel pode ser uma ótima alternativa para quem precisa de um empréstimo com valores mais altos e mais facilidade para pagar. Mas fique atento às regras. Para que ele seja concedido, o banco precisa estar seguro de que receberá o dinheiro de volta. Por isso, exige a casa própria como garantia de que isso acontecerá.

Então, é imprescindível que o imóvel esteja quitado e sem dívidas. Também é preciso que o cliente apresente uma fonte de renda, que demonstrará a sua capacidade de pagar as parcelas do crédito, além de outros documentos que devem ser entregues ao banco. É o caso, por exemplo, de RG, CPF, certidão de nascimento ou casamento, matrícula do imóvel e declaração negativa de débitos.

Depois disso, o banco faz uma avaliação do imóvel para saber quanto ele vale atualmente. Com base nisso e em quanto o cliente pode pagar por mês, decide o valor que emprestará por meio do refinanciamento do imóvel.

Então, agora que você já conhece o refinanciamento do imóvel pode compará-lo a outras modalidades de empréstimo e analisar qual é mais viável para a sua realidade atual.

Gostou deste artigo? Aproveite e leia nosso post para entender como está o mercado imobiliário no momento.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.